segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Por que Piscamos os Olhos?

Você já parou pra pensar o por quê de piscarmos os olhos, poderíamos ficar o tempo todo de olhos abertos?

O ato de piscar os olhos é um ato involuntário, ou seja, acontece idependente de nossa vontade, os nossos olhos podem piscar até 20 vezes por minuto.

Isto é muito importante para nós, pois piscar serve para lubrificar os olhos e evitar o ressecamento. Também impede a ação de microorganismos e impede o contato entre poeira ou outras substâncias com a córnea.

Nós possuímos glândulas lacrimais que são responsáveis pela produção da lágrima, ela é espalhada na superfície do olho graças ao piscar dos olhos, com isso não permitindo o ressecamento.

Por isso nunca tente ficar muito tempo sem piscar os olhos, pois isso pode lhe causar sérios problemas.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Qual é o bicho mais venenoso do mundo?

É uma água-viva com finos tentáculos de até 5 metros de comprimento que atende pelo nome de vespa-do-mar (Chinorex fleckeri). Encontrada no litoral da Austrália - principalmente entre outubro e março -, ela é muito mais venenosa que qualquer cobra, aranha ou escorpião do planeta: um único indivíduo da espécie contém toxinas suficientes para matar 60 adultos. "Ao esbarrar na vítima, ela lança milhares de agulhas microscópicas que imediatamente despejam o veneno na corrente sangüínea", diz o biólogo José Carlos de Freitas, da Universidade de São Paulo (USP). Nos últimos 100 anos, mais de 60 banhistas foram mortos por essa medusa na costa australiana - o dobro do número de vítimas fatais de ataques de tubarão naquele país. A boa notícia é que existe antídoto contra a poderosa toxina, mas, como sua ação é muito rápida, a vítima tem que ser atendida sem demora. Por isso, os salva-vidas australianos costumam carregar vidrinhos com o remédio.

Como não nada, apenas flutua no oceano, a vespa-do-mar tem que ser precisa na captura dos pequenos peixes que irão alimentá-la. Por isso, é tão importante a ação rápida de seu veneno. O homem está longe de fazer parte do cardápio desse animal, mas num esbarrão acidental, o veneno pode ser usado como defesa. Na hora do contato, a pessoa sente uma picada, como se tivesse sido atacada por uma vespa comum. Logo depois, a toxina inoculada avança pela sangue até atingir o coração e os pulmões. Se a vítima não receber uma dose de antídoto, pode morrer de parada cardíaca e respiratória em cerca de cinco minutos.

Os tentáculos da vespa-do-mar disparam fios parecidos com agulhas:

1 - As células dos tentáculos são carregadas de uma toxina fatal. Dentro delas há um fio, fino e duro, contráido com uma mola;

2 - Quando alguma pessoa ou animal esbarra nos tentáculos, as células liberam essa "mola" que estava escondida

3 - Os fios perfuram a pele humana sem dificuldade. Suas pontas, em formato de arpão, fisgam a carne e não soltam mais. O veneno injetado por elas logo chega ao sangue;



Hapalochlaena maculosa

O segundo lugar entre os animais mais venenosos pertence a outra criatura do mar: o chamado polvo-de-anéis-azuis (Hapalochlaena maculosa), também do Oceano Pacífico, que só ataca se for provocado. Quando isso acontece, seu corpo fica coberto de anéis azuis que indicam a perigosa mudança de humor. Essa espécie de polvo é bem pequena - do tamanho de uma bola de golfe -, mas possui um veneno capaz de matar uma pessoa em 30 minutos. A sorte é que os acidentes com seres humanos são raros, pois contra a toxina desse animal não existe antídoto. Para salvar a vítima de um ataque, é preciso mantê-la sob cuidado médico intensivo, com respiração artificial, até que o veneno seja excretado pela urina.

O polvo-de-anéis-azuis usa suas toxinas tanto como predador, para caçar pequenos peixes, como em autodefesa, quando se sente ameaçado. O veneno ultrapotente é produzido por glândulas localizadas junto à boca do animal e introduzido na vítima pela mordida do bicho. A mordida em si não é muito dolorida, mas em poucos minutos a pessoa sente náuseas e começa a ficar com a visão embaçada até tudo à sua volta escurecer por completo. Depois, vem a perda do sentido do tato e a impossibilidade de falar ou engolir.
Em aproximadamente meia hora, a toxina produzida pelo polvo pode deixar a vítima paralisada e matá-la por asfixia. O Oceano Pacífico é o lar dos dois animais mais venenosos do planeta. A vespa-do-mar aparece mais no litoral nordeste da Austrália. Já o polvo costuma ser encontrado entre o Japão e a Oceania.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Grandes Cientistas - Carl Linné

Carl Linné, que nasceu em 1707, mostrou, desde criança, talento para a botânica. Aos cinco anos de idade, ele recebeu do pai, pastor de uma igreja luterana e botânico amador, um jardim para tomar conta sozinho. Com o passar do tempo, a vocação de Linné ficou mais evidente. Diferentemente da vontade de seus pais, que queriam que ele seguisse a carreira religiosa, no fim de seus estudos básicos Linné decidiu fazer faculdade de medicina. Isso tudo no ano de 1727, quando tinha 20 anos de idade.
Naquela época, os alunos de medicina também estudavam plantas, já que receitavam ervas para seus pacientes. Durante seus estudos, Linné passou um bom tempo dedicando-se a colecionar e estudar espécies botânicas. Depois que terminou a faculdade, nosso jovem cientista resolveu fazer uma expedição pelo interior da Suécia. Essa expedição serviu para descobrir novas espécies de plantas numa região considerada desconhecida de seu país naquela época. Naquele tempo, muitas espécies não eram conhecidas, visto que a prática de descrever os seres vivos estava sendo popularizada pouco a pouco.

Embora não tenha se tornado padre, Linné era religioso – assim como a maioria das pessoas daquela época. O pesquisador acreditava que o estudo da natureza mostrava a organização da criação de Deus. Assim sendo, pensava ele, era seu trabalho, como botânico, construir uma classificação que mostrasse essa ordem do universo. Foi por isso que Linné teve a idéia de criar um sistema de classificação dos seres vivos, que acabaria se tornando o seu mais importante trabalho científico: o sistema binominal de nomeação das espécies. 

Fonte: www.sobiologia.com.br

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Cientistas Malucos da Escola Padre Antônio Barbosa / Lajedo - PE

Valeu Pessoal!
Projeto realizado pelos alunos da Escola Municipal Padre Antônio Barbosa, municipio de Lajedo - PE. Essas são as fotos referentes ao projeto Cientistas Malucos do Padre Antônio. Aproveito o momento para agradecer o apoio que recebi da Diretora Geruza Vicente, Diretora Adjunta Janaína e da Coordenadora Pedagógica Verônica. E um agradecimento especial aos alunos das oitavas séries A e B, pelo empenho e o excelente trabalho realizado.
Vocês estão de:

Jaiane e Lucimara
Genildo e Cláudia
Erivânia realizando a experiência de "Como encher um balão sem assoprar".
Lucimara e Jaiane fazendo a experiência "A mágica da água que muda de cor".
Profº. Israel e Profº. Rogério
Pâmela realizando a experiência "Bexiga que não estoura no fogo".
Anderson realizando a experiência de "Como encher um balão sem assoprar"
Segundinho
Profº Flávio Lopes "Eu mesmo"!
João Victor e Edvanilson realizando a experiência "Três velas e um mistério".
Wesley fazendo a experiência "Três velas e um mistério".
Isaac Newton
Matheus Henrique realizando o experimento "Coca-cola com mentos".
Jaiane realizando a experiência "Sangue do diabo".
Gabriela preparando o experimento "Sangue do diabo".
Rafael após ser pego de surpresa na experiência "Sangue do diabo".
Nossa cameraman Iris.
Roseane fazendo o experimento "Vela que enche o copo".
Jucélia explicando o experimento "Lâmpada de lava".
Fernando preparando a experiência "Fogo com maizena"
Henrique fazendo a experiência "Fogo com maizena".
Wesley e Fernando
Alunos da 8ª A
Alunos da 8ª B



Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.
Loading...